Portal de Notícias Demonstrativo - Sua fonte de notícias na cidade de ...

Notícias Saúde

23 cidades de Goiás precisam fechar atividades não essenciais, indica mapa de calor

Atualização dos números da pandemia demanda que outras 165 cidades endureçam medidas de contenção contra covid-19

23 cidades de Goiás precisam fechar atividades não essenciais, indica mapa de calor
Mapa de calor atualizado dia 21 de janeiro de 2022 – (Foto: Divulgação/O Popular)
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Com piora nos números da pandemia de Covid-19, 23 cidades goianas estão com indicação para fechar todas as atividades não essenciais. Elas estão nas duas regiões que, nesta sexta–feira (22), foram classificadas em vermelho, o pior patamar do mapa de calor atualizado semanalmente pelo Estado. Outras 165 cidades ficaram na faixa laranja e precisam reduzir a capacidade de locais de grande circulação de pessoas.

O mapa lançado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) no ano passado é tido como o norteador dos municípios para o endurecimento ou flexibilização de medidas durante a pandemia. O cumprimento das indicações é incerto, já que parte dos municípios descumpriram as recomendações tidas no mapa de calor durante o ano passado.

É a primeira vez que duas regiões são classificadas em vermelho em cerca de quatro meses. O índice aponta que as cidades dessas regiões estão em “calamidade”. Para isso, o acompanhamento avalia critérios como taxa de ocupação de leitos de UTI e a taxa de transmissão da doença. O mapa também tem os níveis amarelo, que cobra alerta, e o laranja, sendo esse o intermediário, que acompanha o status de “situação crítica”.

Confira os municípios das regiões em calamidade:

Região Norte: Bonópolis, Campinaçu, Estrela do Norte, Formoso, Minaçu, Montividiu do Norte, Mundo Novo, Mutunópolis, Novo Planalto, Porangatu, Santa Tereza de Goiás, São Miguel do Araguaia e Trombas.

Pirineus: Abadiânia, Alexânia, Anápolis, Campo Limpo de Goiás, Cocalzinho de Goiás, Corumbá de Goiás, Gameleira de Goiás, Goianápolis, Pirenópolis e Terezópolis de Goiás.

Outras 11  regiões estão na faixa laranja, atingindo 166 cidades. Entre o início de dezembro e primeira semana de janeiro, todas as regiões permaneciam em amarelo. Na semana passada três tiveram piora, indo para a faixa laranja. Nesta semana, apenas cinco permaneceram no patamar mais confortável.

Conforme prevê as diretrizes do mapa de calor, “a região que piorou a situação deverá imediatamente adotar as medidas restritivas da situação de piora em que se encontra agora, e manter tais medidas por 14 dias”,

Para a faixa vermelha, as recomendações são de fechamento de todas as atividades não essenciais, com possibilidade de abertura apenas de hospitais, supermercados e farmácias. Para a faixa laranja a orientação é de limitar a capacidade de locais de grande circulação de pessoas em 50%. O leitor pode acessar o mapa de calor e conferir a situação de seu município clicando aqui. Entre as cidades na faixa laranja estão Goiânia, Aparecida de Goiânia, Catalão, Iporá, Goianésia e Itumbiara.

Algumas cidades tomaram a dianteira na adoção de medidas restritivas nas duas últimas semanas. Entre elas está Goiânia, que limitou o público de bares e proibiu o funcionamento de pistas de dança. A previsão inicial era de que a capital fosse manter o decreto por 15 dias. Como não houve melhora no patamar da região em que está inserida, a tendência é de que a gestão precise estender o decreto por, pelo menos, sete dias além do que já estava previsto.

FONTE/CRÉDITOS: O Popular
Comentários:

Veja também

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!