Portal de Notícias Demonstrativo - Sua fonte de notícias na cidade de ...

Notícias Policial

Motorista é preso por corrupção ativa ao oferecer quantia em dinheiro a policiais para ser liberado da fiscalização

Também foram registrados os crimes de transporte de mercadoria nacional sem nota fiscal e falsidade ideológica

Motorista é preso por corrupção ativa ao oferecer quantia em dinheiro a policiais para ser liberado da fiscalização
O condutor só possuía apenas uma nota fiscal das duas máquinas que estavam sendo transportadas. (Imagem: PRF)
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

No final da tarde desta terça-feira (16), equipe da Polícia Rodoviária Federal realizava procedimento de fiscalização no km 666 da BR 153, em Gurupi/TO, quando abordou um veículo de carga, Volvo/Fh 540 6x4t de cor branca, conduzido por um homem de 53 anos.

O condutor realizava o transporte no semirreboque de duas máquinas idênticas, do tipo pá carregadeira, além de outros implementos. Com diversas irregularidades na documentação fiscal apresentada, o indivíduo ofereceu R$ 1000,00 reais aos policias para ser liberado dos procedimentos de fiscalização e foi preso em flagrante pelo crime de corrupção ativa.

Ao ser solicitada a documentação referente a carga, foi apresentada uma nota fiscal que especificava apenas uma máquina. Além disso, as especificações contidas na nota não condiziam com as identificações dos maquinários transportados.

Os policias questionaram o condutor sobre a documentação correta da carga, momento em que o abordado informou que gostaria de resolver a situação de uma forma mais simples, oferecendo a quantia de R$ 1.000 à equipe policial, a fim de ser prontamente liberado. Nesse momento, o condutor foi encaminhado para a central de flagrantes de Gurupi/TO pela prática do crime de corrupção ativa.

Posteriormente, os policiais continuaram o procedimento de fiscalização, constatando graves inconsistências na Autorização Especial de Trânsito (AET). As informações de taras do caminhão trator e do semirreboque foram indevidamente inseridas, apresentando valores subfaturados, abaixo do peso real dos veículos, com o objetivo de alterar a capacidade de carga do conjunto transportador, criando benefícios para a empresa transportadora, com a economia no custo operacional do transporte, o que acaba negligenciando a segurança viária ao oferecer demasiado risco aos demais condutores.

Os veículos e suas cargas foram encaminhados ao pátio da PRF em razão das irregularidades verificadas. Diante do ocorrido, contatou-se os crimes de corrupção ativa, transporte de mercadoria nacional sem nota fiscal e falsidade ideológica.

Comentários:

Veja também

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!